Primeira demonstração do Telégrafo a 172 Anos


Samuel Morse fez há 172 anos, a 6 de Janeiro de 1838, a primeira demonstração do telégrafo, um sistema que desenvolveu por força das circunstâncias.
O norte-americano era, acima de tudo, um amante das artes: ao longo de grande parte da vida, pintou um sem número de retratos e cenas históricas e estudou nas melhores academias de Arte dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha.
Foi assim até 1825, quando recebeu uma carta a dar-lhe conhecimento - tardio - da doença terminal da mulher. A impossibilidade de a acompanhar de perto aguçou-lhe o engenho: Morse dedicou-se à criação de um sistema de comunicação rápido a longas distâncias. Cerca de uma década depois, patenteou o primeiro telégrafo electromagnético. Ao mesmo tempo, definiu um formato para codificar mensagens.
Surgia, assim, o Código Morse, cuja primeira demonstração aconteceu na cidade de New Jersey, com a apresentação pública do telégrafo, um dos mais importantes instrumentos de comunicação à distância que utiliza impulsos eléctricos para emitir e receber sinais.
Desde a sua criação, conheceu inúmeras utilizações porque, "sendo tão simples e universal, o código Morse permite a comunicação de pequenos volumes de informação sobre canais de pequena largura de banda e através de meios com adversidades, como sejam interferências ou grandes distâncias", explica Sérgio Reis Cunha, do Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).
Ao longo dos tempos, a linguagem Morse evoluiu para as comunicações via rádio. "Foi com naturalidade que isso aconteceu, porque o rádio operava como um telégrafo sem fios. Em cenários de guerra, foi usado para o estabelecimento de comunicações a longa distância. Sendo um meio de comunicação de símbolos, foi particularmente útil no estabelecimento de comunicações encriptadas. Foi, por isso, extremamente relevante nas duas grandes guerras mundiais", conclui o especialista.
A tecnologia evoluiu a um ritmo galopante "e o futuro das comunicações abre-nos imensas oportunidades".
Sérgio Reis Cunha reconhece que, hoje em dia, o Código Morse é visto como uma ferramenta obsoleta. Mas não deixa de ser utilizado, nomeadamente, por radioamadores para a transmissão de mensagens à escala planetária (maioritariamente na banda de HF) e na identificação de estações de transmissão de outros sinais.
E "em situações de calamidade, em que os mais avançados sistemas de telecomunicações e internet deixam de funcionar, a linguagem Morse é um meio altamente eficaz para transmitir algo tão simples como …---… (SOS)".

CT1PT - Carlos Pinheiro

POSTAGENS POPUPARES

POSIÇÕES APRS - APRS.FI

.

Resumo para o "Solar-Terrestrial Data"

Variações no campo magnético da Terra são medidos por magnetômetros.
Dois índices são calculados:
Índice K - Faixa de 0 a 9, 0 é calma
Índice A - Usa a média das 8 leituras do índice K, Faixa de 0-400
Geralmente um Índice A igual ou inferior a 15 ou um índice K igual ou inferior a 3 é o melhor para a propagação HF.
Elevados índices A e K reduzem as MUFs, mas ocasionalmente MUFs em baixas latitudes podem aumentar quando os índices A e K são elevados.
Veja no quadro acima, tanto os dados relativos a data de hoje (UTC), quanto a faixa de variação dos índices K e A:

ESTAÇÕES QRP

Loading...

VIDEOS SOBRE APRS

Loading...

Total de visualizações de página

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Gostou? Divulgue o GRAJU!