HISTÓRIA DA CIDADE DE JUNDIAÍ, SP


História de Jundiaí


A povoação de Jundiaí começou a ser reconhecida a partir de 1651, com a inauguração da capela dedicada à Nossa Senhora do Desterro "dois anos após o inicio de sua construção". 0 que remete à 1649, à existência de um povoamento regular. Nesta época, a existência de uma "capela curada" era essencial para o reconhecimento da existência de uma comunidade. Em 14 de dezembro de 1655, Jundiaí foi elevada à categoria de vila, sendo seu primeiro plano urbanístico efetuado em 1657. No entanto, o primeiro contato entre europeus e indígenas, bem como, a efetiva ocupação da região pelos brancos, constituem-se ainda em objetos de muitos estudos e especulações.


No século XVII, quando da efetiva fixação do branco nesta região, a agricultura possuía a função de subsistência, muito embora, há notícias da exploração de frutas cítricas e marmelais. No século XVlll, com o crescente desenvolvimento da então Província de São Paulo (Estado), houve a implementação de pequenas atividades relacionadas às Tropas de Comércio, particularmente as de natureza comerciais; como estalagens e pequenos "emporiuns". No século XIX, após a implementação da cafeicultura no Estado - primeiro no Vale do Paraíba e, posteriormente, no Oeste Paulista - algumas áreas de Jundiaí também foram destinadas a este tipo de plantio, inclusive com a utilização da mão de obra negra escrava.


De vila à cidade Elevada à categoria de cidade em 28 de março de 1865, Jundiaí tornou-se , nas décadas seguintes, numa estratégica área de entroncamento ferroviário. Em 1887, concluiu-se a Ferrovia Santos – Jundiaí. Em 1872, era inaugurada a Cia Paulista de Estradas de Ferro, em 1873 a Cia. Ituna, em 1890 a Cia Itatibense e, finalmente, em 1891 a Cia Bragantina. Com o desenvolvimento ferroviário, surgiram pólos de imigração na região, com a chegada de ingleses, espanhóis e italianos. Após a substituição da mão-de-obra negra escrava, o processo de imigração em Jundiaí foi impulsionado por intermédio de incentivos governamentais. Como exemplo, pode-se citar a criação do Núcleo Colonial "Barão de Jundiaí" , implementado pelo então Presidente da Província de São Paulo, Dr. Antônio de Queiroz Telles (Conde do Parnaíba), filho do Barão de Jundiaí e agraciado também com o título de "Apóstolo da Imigração Italiana" .


Com a chegada do final da segunda metade do Séc. XIX, e praticamente nos finais da Monarquia brasileira: Jundiaí era considerada um expressivo centro produtor de café em São Paulo. Em 1887 e 1890, houve uma massa migratória vinda de região de Veneto, Piemonte e Lombardia, na Itália. Foi então que a partir de 1890 a cidade começou a receber um maior número de imigrantes italianos. Talvez, Jundiaí não tenha sido o eldorado sonhado pela "boa gente" que aqui aportara, porém, a estreita convivência com a laboriosa colônia fez com que, desde de logo, as influências começassem a surgir numa perfeita e entrosada cultura, numa verdadeira miscigenação em conseqüência das gerações que iam sucedendo-se. Depois desse surto imigratório, a cidade começou a deixar aquele ar das velhas cidades Luso brasileiras, para ser marcada por um neoclassicismo tipicamente italiano. E assim, o italiano através de sua milenar civilização foi criando uma nova aparência em terras novas da América. Na atividade industrial, a primeira metade do século XX, esteve muito ligada à produção fabril. Destacaram-se as lndústrias Agros, Japi e Milani.


Com a expansão Industrial da segunda metade do século, novas metalúrgicas instalaram-se em Jundiaí. Como exemplo pode-se citar a Vigoreli do Brasil (já extinta), a Petri, a Tusa (hoje Semens) entre outras. Também pode-se destacar a indústria alimentícia. Atualmente Jundiaí possui um dos maiores parques industriais da América Latina.A história da formação de sua sociedade também mescla-se com a efetiva ocorrência de correntes imigratórias e migratórias dos pós-segunda guerra. Dentro desse contexto, Jundiaí possui uma ampla gama de diferentes experiências sociais, que acumulam culturas de várias regiões do país e do mundo. Destaca-se hoje o forte desenvolvimento na área cultural, educacional, tecnológica, turística e ambiental da região, sendo a Serra do Japi, um patrimônio histórico de toda a sociedade. Na área de lazer, a chegada dos parques temáticos já produzem uma clara modificação neste setor com a provável criação de inúmeros empregos.
© Copyright - 12º Grupo de Artilharia e Campanha

POSTAGENS POPUPARES

POSIÇÕES APRS - APRS.FI

.

Resumo para o "Solar-Terrestrial Data"

Variações no campo magnético da Terra são medidos por magnetômetros.
Dois índices são calculados:
Índice K - Faixa de 0 a 9, 0 é calma
Índice A - Usa a média das 8 leituras do índice K, Faixa de 0-400
Geralmente um Índice A igual ou inferior a 15 ou um índice K igual ou inferior a 3 é o melhor para a propagação HF.
Elevados índices A e K reduzem as MUFs, mas ocasionalmente MUFs em baixas latitudes podem aumentar quando os índices A e K são elevados.
Veja no quadro acima, tanto os dados relativos a data de hoje (UTC), quanto a faixa de variação dos índices K e A:

ESTAÇÕES QRP

Loading...

VIDEOS SOBRE APRS

Loading...

Total de visualizações de página

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Gostou? Divulgue o GRAJU!