Quem Leva a Melhor IC706 MKIIG ou FT857D



No primeiro semestre deste ano tinha a mesma dúvida que vc e resolvi cair no campo das pesquisas para sana-las. O meu primeiro passo foi colher as diversas opiniões dos usuários de ambos equipamentos , e depois de muitas conversas e trocas de e-mails, cheguei a uma conclusão que na verdade já desconfiava, cada um dono de equipamento "puxa" para seu lado, ou seja quem tinha o 857 falava só das coisas boas dos equipamentos e quem tinha o 706 também, conclui q ue não conserguiria chegar a lugar nenhum com as opiniões dos usuários.
Então o que fazer ? resolvi pesquisar técnicamente com os dados que fabricas colocam em seus manuais, tenho agora , nesta segunda fase ou tentativa a ajuda de sites americanos como o da ARRL com comparativos técnicos e que analizam os equipamentos (em separado) e cheguei a minha segunda conclusão: técnicamente são muito parecidos, com uma vantagem inicial para o 857d devido a ser um projeto mais recente e já Incorporam tecnologia de equipamentos consagrados como a do DSP do FT-1000, apesar de ser menor tem um sistema eficiênte de dissipassão de calor e aquece menos que o 706, causando menor desgaste por "envelhecimento precoce" que é o maior inimigo dos componentes eletrônicos.
O¨706 tem a seu favor ser um projeto consagrado e muito testado, já na terceira versão já tem alguns bug´s de projeto corrigidos coisa que o 857D apesar de ser um projeto mais pensado afinal a Yaesu já cometeu um grande erro ao lançar o FT-100 na "correria" e com erros de subdimensionamento, não poderia cometer novamente este tipo de erro, (a YAesu tem como concepção radios confiáveis desde dos primeuiros equipamentos), e correria o risco de ficar marcada de incapacidade de prover bons equipamentos móveis desta classe, assim este projeto que é o mesmo do FT-897 foi exaustivamente testado para resgatar aimagem da companhia frente ao fracasso do FT-100. Com estes dados pesquisados em mãos, resolvi tirar a minha própria prova de bancada, afinal opinião se forma com experiências e resolvi tirar a minha.
Meu foco da experiência foi na parte de recepção, pois para transmitir temos algunas recursos para melhorar e na recepção se o radio for "surdo" ou um nível sinal ruido ruim, de pouco adianta melhorar que mesmo assim ficaremos com deficiência. O primeiro passo foi ter os equipamentos a serem testados, como já tinha um 706 MKII, e um amigo estava dispondo de um 857D novo sem uso, resolvi investir não só para teste mais também para ter o equipamento, na primeira fase coloquei os radios ligados em paralelo, em um "t", e com cabos coaxiais do mesmo tamanho entre o t e os equipamentos (para "enchergarem" a mesma impedância mesmo que essas fossem diferentes de 50 Oms teriam a mesma condição) e liguei as minhas antenas na entrada do "t", como minha intenção era de simplesmente comparar a recepção não importava se teria uma perda maior por falta de acoplagens de antenas ou impedâncias, e passeei a compara-los sinal a sinal. Para minha surpresa inicial nas bandas de 40 e 80 o "VELHO" MKII foi muito valente e cheguei a achar que se fosse o MKIIG o 857 não teria chance, foi realmente um empate técnico sem vantagem para nenhum dos lados, ou seja, o MKII estava ainda atualizado junto a estes equipamentos lançados recentemente , sinal ruido, sensibilidade ambos idênticos, coloco que não foi um teste técnico e sim operacional , o que meu ouvido me dizia era anotado sem equipamentos tecnicos, pois mensuração técnica já foram feitos em campo de provas das companhias o qual não tinha a mínima ideía de contestar pois não tenho os recursos que eles dispunham, e no "ouvido" é o que observei.
Nas bandas mais altas 20, 15, 10 e 6m começou a aparecer as diferenças a favor do 857D, o equipamento da yaesu tem por um excelente DSP, que tem uma atenuação muito pequena e que auxilia confortavélmente a audição humana, sem "expremer" o audio e assim se tornando aos sinais mais débeis serem, mais interpretados com maior conforto e nitidez, relamente parecia que "limpava" a banda a passagem de um equipamento para o outro, assim eu pensei, a diferença é porque estou com um equipamento com DSP e outro sem , é covardia não?, acreditei que sim e passei a parte superior de VHF só para concluir, afinal a diferença era covarde.
Em 144 mhz o 706 me deu um infeliz resultado, não tem a estabilidade necessária para chegar nestas frequências sem diferenças, então o que me mostrava no seu frequêncímetro não era real, uma difierença de até 30 hz isoo para SSB e CW é mortal para quem usa o frequêncímetro como referência e não a "sintonia real" pelo ouvido. desisti de compara-los nesta banda afinal poderia até ser um problema do meu velho 706 não é, achei que sim. Passado alguns dias e já com a conclusão que o 706 era pior que o novo equipamento adquirido resolvi passar um e ficar com o equi´pamento da Yaesu, foi quando o meu visinho adquiriu um 706MKIIG novo e sem uso, conversei com ele e fizemos os mesmos testes que tinha efetuado com o 706MKII. Inicialmente ele se porta com uma recepção mais plana e menos aguda caradcteristica do MKII e parecida com o 857D, com tons menos agressivos ao ouvido humano. passamos aos testes: Novamente para minha surpresa nas bandas baixas 40 e 80 o "novo" 706, perdeu em quase 2 db para o 857d ou seja perderia até par ao velhinho MKII, pensei o DSP full do 706 causa esta atenuação que para sinais débeis, vc realmente deixa de ouvir uma estação lhe chamar ou mesmo uma figurinha chamando geral não será escutada, já com a pulga atraz da orelha continuei nas bandas de HF que faltava, 20,15 e 10, e o MKIIG começou a recuperar o terreno perdido, melhorou consideravelmente a relação do nivel sinal ruido, e realmente se equiparou ao 857D , só perdendo realmente no DSP do 857 que realmente é expetacular e ai fica a diferença de um projeto envelhecido com retoques (MKIIG) a um projeto recente, enquanto no 706 vc esmagava o sinal utilizando os recursos de DSP no 857 era um enriquecimento de audio em relação ao ruido com poucas perdas de sensibilidade. chegamos ao VHF, o trabalho do DSP nesta bandas (50 e 144) pode ser menospresado devido ao baixíssimo nivel de ruido que tenho, e assim não posso considerar o trabalho em um grande centro aonde nível de ruido e infinitamente maior, eles tem praticamente o a mesma recepção com uma vantagem pequena quase que imperceptível para o 857, diria até que se fosse em um local aonde o ruido for maior será realmente imperceptível, mais o novo MKIIG se mostrou com o mesmo suposto problema acusado pelo MKII uma differença acentuada netre a frequência real e a mostrada pelo frequencímetro que agora era de +/- 20 hz ainda muito alto para SSB e CW. levando ainda para o UHF essa diferença se tornou mais acentuada ainda ficando na casa de quase 01 khz dira absurda para um equipamento estável para utilização em DX, coloco que as minhas observações foram em uma peça somente possso ter tido o azar de ser um problema de ajuste, mais não creio.
Diante dos testes e fatos por mim observados, não entrarei em polêmica de opiniões, tenho minha convicção que o FT 857D tem suas vantagens sobre o 706 MKIIG, no que tange a recepção conforme acima, ainda vejo uma melhor tranmissão, tendo um variedade boa de configurações de audio, maior potência em UHF, melhor estabilidade, e na parte funcional entre os vários menus muito otimizado. teclas configuráveis para funções principais, configuração por cores por banda que é interessante para o uso móvel asiim como o acesso facilitado para os botões modais.
Em minha opinião o 857D é melhor por ser mais novo e um projeto mais atual.
P.S. não sou usuário de nenhum dos dois pois vendi ambos para compra de um equipamento maior em maio deste ano.
73´s Fábio PY1ZV
Fonte: http://www.radioamadorismo.org.br (Fórum)

POSTAGENS POPUPARES

POSIÇÕES APRS - APRS.FI

.

Resumo para o "Solar-Terrestrial Data"

Variações no campo magnético da Terra são medidos por magnetômetros.
Dois índices são calculados:
Índice K - Faixa de 0 a 9, 0 é calma
Índice A - Usa a média das 8 leituras do índice K, Faixa de 0-400
Geralmente um Índice A igual ou inferior a 15 ou um índice K igual ou inferior a 3 é o melhor para a propagação HF.
Elevados índices A e K reduzem as MUFs, mas ocasionalmente MUFs em baixas latitudes podem aumentar quando os índices A e K são elevados.
Veja no quadro acima, tanto os dados relativos a data de hoje (UTC), quanto a faixa de variação dos índices K e A:

ESTAÇÕES QRP

Loading...

VIDEOS SOBRE APRS

Loading...

Total de visualizações de página

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Gostou? Divulgue o GRAJU!