NASA abre comemorações pelos 40 anos do primeiro pouso na Lua

NASA abre comemorações pelos 40 anos do primeiro pouso na Lua

Agência Fapesp

22/04/2009
O módulo Águia, da Apollo 11, em órbita da Lua, fotografado a partir do módulo de comando Colúmbia.[Imagem: NASA]

No dia 20 de julho próximo será comemorado o 40º aniversário da conquista da Lua. Foi nesse dia, em 1969, que o astronauta Neil Armstrong se tornou o primeiro homem a andar pelo satélite terrestre, após ter percorrido com os companheiros Buzz Aldrin e Michael Collins, a bordo da Apollo 11, os mais de 360 mil quilômetros desde a superfície terrestre.
40 anos de um passo importante
"Um pequeno passo para o homem; um gigantesco salto para a humanidade", foram as palavras ditas por Armstrong e que imediatamente marcaram a história do século 20.
Para marcar os 40 anos de sua mais famosa missão espacial, a Nasa está planejando uma série de eventos e atividades durante este ano. Além de celebrar o programa Apollo, o objetivo é destacar suas conquistas e benefícios derivados do desenvolvimento tecnológico necessário para seu sucesso.
"Celebre a Apollo: Explorando a Lua e descobrindo a Terra" é o nome do projeto de divulgação de informações sobre as missões históricas, atuais e futuras da Nasa.
Site comemorativo
A agência lançou um site especial que traz a história da conquista da Lua, que para o programa norte-americano começou de forma desesperada. Após ter visto os então soviéticos enviarem para o espaço o primeiro satélite (Sputnik, em 1957), o primeiro animal (a cadela Laika, no mesmo ano) e o primeiro homem (Yuri Gagarin, em 1961), não havia outra opção para se sair bem na corrida espacial em plena Guerra Fria a não ser chegar primeiro à Lua.
Quando a União Soviética já projetava suas missões ao satélite, em 25 de maio de 1961, o então presidente norte-americano John Kennedy anunciou o ambicioso objetivo de "levar o homem à Lua e trazê-lo de volta com segurança antes do fim da década".
Início turbulento
Foram precisos oito turbulentos anos, que contaram inclusive com a morte de astronautas (os três da primeira missão, a Apollo 1, em testes na plataforma de lançamento na Flórida) e do próprio Kennedy, assassinado em 1963. Esse início do programa espacial americano foi dramatizado no cinema por meio do filme Os Eleitos.
Mas a poucos meses do fim da década, o módulo lunar da Apollo 11 pousou com segurança na região lunar chamada, não por coincidência, de Mar da Tranquilidade.
Outras cinco missões - as Apollo 12, 14, 15, 16 e 17 - levaram astronautas para a Lua, onde colheram poeira e rochas e realizaram experiências para medir dados físicos, sísmicos, magnéticos e o vento solar na superfície. Andaram, pularam, rodaram com um jipe e até arriscaram tacadas com bolas de golfe. E, desde 1971, nunca mais retornaram. Mas a Nasa planeja voltar com missões tripuladas ao satélite na próxima década.
Árvores da Lua
O site traz curiosidades como a tecnologia e a engenharia envolvidas na construção e direção do módulo lunar até a segurança da superfície. Outra curiosidade são as "árvores da Lua", crescidas a partir de mais de 400 sementes levadas pelo astronauta Stuart Roosa - que fez parte do Serviço Florestal norte-americano - na Apollo 14. Após retornarem à Terra, as sementes foram plantadas em diversos locais dos Estados Unidos e em outros países.
Outro destaque são as muitas fotos, diversas em alta resolução, como da primeira pegada deixada por Armstrong no solo lunar, além de vídeos das missões do programa e de depoimentos de pessoas que descrevem onde estavam e o que sentiram quando viram pela televisão os primeiros passos do homem em outro corpo celeste.
Mais informações podem ser vistas nos sites comemorativos



POSTAGENS POPUPARES

POSIÇÕES APRS - APRS.FI

.

Resumo para o "Solar-Terrestrial Data"

Variações no campo magnético da Terra são medidos por magnetômetros.
Dois índices são calculados:
Índice K - Faixa de 0 a 9, 0 é calma
Índice A - Usa a média das 8 leituras do índice K, Faixa de 0-400
Geralmente um Índice A igual ou inferior a 15 ou um índice K igual ou inferior a 3 é o melhor para a propagação HF.
Elevados índices A e K reduzem as MUFs, mas ocasionalmente MUFs em baixas latitudes podem aumentar quando os índices A e K são elevados.
Veja no quadro acima, tanto os dados relativos a data de hoje (UTC), quanto a faixa de variação dos índices K e A:

ESTAÇÕES QRP

Loading...

VIDEOS SOBRE APRS

Loading...

Total de visualizações de página

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Gostou? Divulgue o GRAJU!